Luiz Acatauassú Nunes
Presidente da ABS-Rio

Em reunião, no 25 de maio passado, foram avaliados três vinhos espanhóis pelo grupo de degustação de Ricardo Farias, incluindo castas pouco conhecidas no mercado internacional.

Uva Picapoll

DEGUSTAÇÃO DE VINHOS ESPANHOIS

Da Denominación de Origen Pla de Bages, Catalunha, tivemos o vinho ABADAL PLA BAGES 2009, produzido pela Abadal. Trata-se de  um varietal da casta picapoll, 13% de graduação alcoólica; 10% do vinho é amadurecido em barricas de carvalho por 10 meses.

Essa DO situa-se próxima à Barcelona, em região de bosques mediterrâneos, com muita insolação e gradientes térmicos. A casta picapoll é uma variedade de uva branca autóctone de Pla de Bages. O cacho dessa uva é de tamanho pequeno e compacto, tendo a casca das uvas marcas de “picadas” (daí o nome da casta). É uma variedade com maturação tardia. Os vinhos com essa casta possuem coloração brilhante, aroma frutado e acidez moderada. Fora da Espanha, é utilizada na França nos destilados das regiões de Cognac e Armagnac.

O vinho degustado apresentou-se cor amarelo ouro, aromas maduros de abacaxi e lima, amêndoas. Cremoso, teve final longo e complexo.

A nota média obtida no grupo foi de 88,0 pontos.

Uva Mencía

DEGUSTAÇÃO DE VINHOS ESPANHOIS

O segundo vinho foi da Denominación de Origen de Bierzo, localizada na província de Castilla y León, mas próxima à fronteira com a Galícia. Em virtude dessa localização, o clima é mais quente que o da Galícia, embora ainda se beneficie da influência marítima dessa região. O vinho degustado foi o tinto LA BIENQUERIDA 2007, da Vinícola Finca Losada, 14,5%  de álcool, 15 meses em barricas.O vinho foi obtido a partir de uma parcela de antigos vinhedos da casta mencia e uma pequena percentagem de variedades autóctones locais. O cacho dessa uva é de tamanho pequeno e compacto, com bagos de tamanho médio em forma elipsoidal e casca grossa.Os mostos contêm elevado teor de açúcar. Os vinhos elaborados com essa casta possuem coloração intensa e são aromáticos e frutados, com grande capacidade de envelhecimento.

O vinho degustado apresentou-se com cor vermelho rubi intensa, aromas florais e de frutas vermelhas, notas minerais e de especiarias.

A nota média obtida no grupo foi de 90,67 pontos.

O terceiro vinho, de classificação vinícola Vinos de la Tierra de Castilla y León, foi o ABADIA RETUERTA SELECCIÓN ESPECIAL 2009, produzido pela vinícola Abadia Retuerta em uma região de clima continental com escassas precipitações pluviométricas. Situa-se próxima ao rio Duero e à cidade de Valladolid. As castas utilizadas são, nesse caso, as amplamente difundidas tempranillo (75%), cabernet sauvignon (20%) e merlot (5%). Com graduação alcoólica 14%, o vinho teve amadurecimento em barricas de carvalho francês e americano por 18 meses.

O vinho degustado, de cor rubi com borda violácea, apresentou aromas de fruta vermelha, mentolado, notas de especiarias, madeira, baunilha e coco.

A nota média do grupo foi de 92,50 pontos para esse excelente vinho.